Querido (a) visitante

Este é o meu espaço onde compartilho com você mensagens bíblicas e publicações diversas.

Deus seja exaltado em todas as coisas que fazemos!

domingo, 14 de abril de 2013

O Jugo Desigual



Não se ponham em jugo desigual com descrentes. Pois o que têm em comum a justiça e a maldade? Ou que comunhão pode ter a luz com as trevas? Que harmonia entre Cristo e Belial? Que há de comum entre o crente e o descrente?  2 Coríntios 6:14-15

        
Com base no texto do apóstolo Paulo acima citado, me pus a pensar sobre o “jugo desigual”.
    Paulo escreveu esta segunda epístola à Igreja de Corinto e aos crentes de toda a Acaia, conforme registrado em 2 Coríntios 1.1. O propósito desta carta referia-se a três classes de pessoas em Corinto: a) Paulo escreveu para encorajar a maioria da Igreja que era fiel; b) Escreveu para contestar e desmascarar os falsos apóstolos que insistiam em difamá-lo. c) Escreveu, também com o propósito de repreender a minoria na igreja que estava influenciada pelos discursos dos falsos apóstolos, visto que já não queriam mais acatar a sua autoridade e correção.
    Dentro deste contexto de repreensão, Paulo aborda o JUGO DESIGUAL! Mas, o que vem a ser este jugo desigual com os infiéis? Podemos pensar nas associações de negócios entre crentes e descrentes ou na área do relacionamento amoroso. Quero me deter neste segundo ponto e, focar o relacionamento do crente com alguém que não professa a mesma fé.
Infelizmente, vivemos dias em que não se valoriza mais a santidade e o temor do Senhor tem sido lançado para longe da prática de vida cristã orientada a cada nascido de novo.
   Um exemplo de “jugo desigual” concernente ao namoro trata-se da incompatibilidade da fé. O relacionamento de cristãos com não cristãos ou evangélicos com não evangélicos é uma opção de jugo desigual. A exemplo disso, podemos citar um jovem evangélico que namora uma moça católica. Os conflitos se instauram em todos os momentos: Onde se casarão, na igreja evangélica ou na católica? Em qual igreja seus filhos serão criados, na evangélica ou na católica? Ele terá em sua casa altares com santos católicos para agradar a esposa? Enfim, vários transtornos surgirão no decorrer da vida de casados, culminando, muitas vezes, em separação até porque, jamais conseguirão cultuar juntos sem que um deles abra mão da fé que recebeu. E nem entro na questão dos familiares, como sogra, sogro, cunhados que certamente farão pressão durante toda a vida do casal querendo um dos cônjuges ceda ao outro.
  Falando francamente quando um(a) jovem crente se associa em relacionamento de jugo desigual algo não está bem em sua comunhão com Deus, pois bem sabemos o que a Bíblia nos ensina sobre esse tipo de associação. Menciono a seguir sete razões porque Deus condena o jugo desigual ou porque nos orienta a não nos associarmos com os descrentes. Vejamos:

1.     O jugo desigual conduz a idolatria!

      A Bíblia nos ensina que não devemos nos prostrar diante de imagens e nem prestar cultos a elas. Como está escrito,



Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso”. (Êxodo 20:3-5)


Algumas religiões afirmam que ao possuírem “imagens de escultura” e se prostrarem diante delas não as estão adorando, mas sim, venerando-as. Ora, ao consultarmos o dicionário da língua portuguesa, logo descobriremos que “venerar” é um verbo transitivo direto que significa “tributar grande respeito a; render culto a; reverenciar” e “adorar” trata-se, também, de um verbo transitivo direto e significa “prestar culto a, reverenciar, venerar”. Portanto, são palavras sinônimas. Desta forma quando um evangélico se associa, por exemplo, a uma pessoa que professa a fé católica, se prende a um jugo desigual. Afinal, existe aqui uma incompatibilidade de fé e fidelidade a Deus.
     Além disso, a Palavra de Deus nos orienta a que não façamos alianças com os que não professam a nossa fé:

Para que não faças aliança com os moradores da terra, e quando eles se prostituirem após os seus deuses, ou sacrificarem aos seus deuses, tu, como convidado deles, comas também dos seus sacrifícios, E tomes mulheres das suas filhas para os teus filhos, e suas filhas, prostituindo-se com os seus deuses, façam que também teus filhos se prostituam com os seus deuses” (Êxodo 34:15-16).

“E Israel deteve-se em Sitim e o povo começou a prostituir-se com as filhas dos moabitas. Elas convidaram o povo aos sacrifícios dos seus deuses; e o povo comeu, e inclinou-se aos seus deuses. Juntando-se, pois, Israel a Baal-peor, a ira do SENHOR se acendeu contra Israel. Disse o SENHOR a Moisés: Toma todos os cabeças do povo, e enforca-os ao SENHOR diante do sol, e o ardor da ira do SENHOR se retirará de Israel. Então Moisés disse aos juízes de Israel: Cada um mate os seus homens que se juntaram a Baal-peor. E eis que veio um homem dos filhos de Israel, e trouxe a seus irmãos uma midianita, à vista de Moisés, e à vista de toda a congregação dos filhos de Israel, chorando eles diante da tenda da congregação. Vendo isso Finéias, filho de Eleazar, o filho de Arão, sacerdote, se levantou do meio da congregação, e tomou uma lança na sua mão; E foi após o homem israelita até à tenda, e os atravessou a ambos, ao homem israelita e à mulher, pelo ventre; então a praga cessou de sobre os filhos de  Israel” (Números 25:1-8).

“E o SENHOR teu Deus as tiver dado diante de ti, para as ferir, totalmente as destruirás; não farás com elas aliança, nem terás piedade delas; Nem te aparentarás com elas; não darás tuas filhas a seus filhos, e não tomarás suas filhas para teus filhos; Pois fariam desviar teus filhos de mim, para que servissem a outros deuses; e a ira do SENHOR se acenderia contra vós, e depressa vos consumiria” (Deuteronômio 7:2-4).

Habitando, pois, os filhos de Israel no meio dos cananeus, dos heteus, e amorreus, e perizeus, e heveus, e jebuseus, Tomaram de suas filhas para si por mulheres, e deram as suas filhas aos filhos deles; e serviram aos seus deuses. E os filhos de Israel fizeram o que era mau aos olhos do SENHOR, e se esqueceram do SENHOR seu Deus; e serviram aos baalins e a Astarote. Então a ira do SENHOR se acendeu contra Israel, e ele os vendeu na mão de Cusã-Risataim, rei da mesopotâmia; e os filhos de Israel serviram a Cusã-Risataim oito anos” ( Juízes 3:5-8).

2.     O jugo desigual é uma armadilha:

“Não façam aliança com eles nem com os seus deuses. Não deixem que esses povos morem na terra de vocês, senão eles os levarão a pecar contra mim, porque prestar culto aos deuses deles será uma armadilha para vocês” 
(Êxodo 23:32-33).

“Eles não destruíram os povos, como o Senhor tinha ordenado, em vez disso, misturaram-se com as nações e imitaram as suas práticas. Prestaram culto aos seus ídolos, que se tornaram uma armadilha para eles  (Salmos 106:34-36).

        Penso ser até desnecessária qualquer explicação diante dos textos
acima citados. A Bíblia é clara quando nos alerta sobre o perigo que algumas circunstâncias ou relacionamentos que se apresentam diante de nós diariamente podem nos afastar de Deus e daquilo que Ele planejou para nós.

3.     O jugo desigual é escravizador:

         Nada mais forte do que um relacionamento ou um sentimento que domina o coração a ponto de escravizar as forças, as decisões e a fidelidade a Deus do que o jugo desigual. Jovens apegam-se ao carinho, ao desejo da carne, a um sentimento aparentemente infindável e caem num grande abismo, numa areia movediça. Pois ao partir para o casamento e descobrir que foi enlaçado por uma armadilha de âmbito espiritual, o cônjuge se vê infeliz, vestido de sentimentos de culpas e por conseqüência não consegue fazer feliz a pessoa que outrora lhe parecia ser o par perfeito. Por esta causa o jugo desigual é escravizador.

pois eles, com palavras de vaidosa arrogância e provocando os desejos libertinos da carne, seduzem os que estão quase conseguindo fugir daqueles que vivem no erro. Prometendo-lhes liberdade, eles mesmos são escravos da corrupção, pois o homem é escravo daquilo que o domina (2 Pedro 2:18-19).

4.     O jugo desigual é contaminador:

         Manter-se separado ou esperar em Deus para um casamento segundo o coração do Senhor preserva-nos de sermos contaminados pelas práticas de vida desta geração. Uma geração que se relaciona sexualmente no namoro e já não se importa com a santidade. Como pode um jovem crente se guardar para a sua esposa estando namorando uma moça que não se importa em se preservar? A Bíblia nos trás vários exemplos de relacionamentos que contaminaram alguns homens de Deus. Dentre eles, poderíamos citar Sansão ou até mesmo Salomão, como vemos no capitulo 11 de 1 Reis que diz:
           

Ora, além da filha de Faraó, amou Salomão muitas mulheres estrangeiras:   moabitas, amonitas, edomitas, sidônita e hetéias, mulheres das nações de que       havia o Senhor dito a Israel: não caseis com elas, nem casem elas convosco, pois vos perverteriam o coração, para seguirdes os seus deuses. A estas se         apegou Salomão pelo amor (1 Rs. 11.1,2).

Outro exemplo é quando Esdras descobre que algo estava errado com a nação de Israel que voltara do exílio babilônico e era o pecado do casamento misto

Depois que foram feitas essas coisas, os líderes vieram dizer-me: O povo de Israel, inclusive os sacerdotes e os levitas, não se mantiveram separados dos povos vizinhos e suas práticas repugnantes, como as dos cananeus, dos hititas, dos ferezeus, dos jebuseus, dos amonitas, dos moabitas, dos egípcios e dos amorreus. Eles e seus filhos se casaram com mulheres daqueles povos e com eles misturaram a descendência santa (Esdras 9:1-2).

5.     Envergonha os pais:

    Neste aspecto nem há muito que comentar. Porém, quero destacar a tristeza dos pais ao verem o (a) filho (a) que cuidaram com tanto carinho, afastando-se e indo cada vez mais para longe do Senhor. A vergonha de vê-los consagrarem seus filhos a deuses estranhos ou a permitir em sua casa práticas das quais não fora ensinado. Você já parou para pensar nos sentimentos de seus pais? Já se aconselhou com eles sobre esse assunto? Por esta causa, permaneço com a Palavra de Deus que diz:

O que guarda a lei é filho sábio, mas o companheiro dos desregrados envergonha a seu pai  (Provérbios 28:7).

6.     Provoca a ira de Deus:
        
     Em Deuteronômio capítulo 7 o Senhor alertava os pais a que instruíssem seus filhos para não se casarem com as pessoas das nações vizinhas, pois isto lhes faria desviarem-se do temor do Senhor e despertaria a ira de Deus. Vejamos:


E a ira do SENHOR se acenderia contra vós, e depressa vos consumiria  (Deuteronômio 7:2-4).

E disse o SENHOR a Moisés: Eis que dormirás com teus pais; e este povo se levantará, e prostituir-se-á indo após os deuses estranhos na terra, para cujo meio vai, e me deixará, e anulará a minha aliança que tenho feito com ele.
Assim se acenderá a minha ira naquele dia contra ele, e desampará-lo-ei, e esconderei o meu rosto dele, para que seja devorado; e tantos males e angústias o alcançarão, que dirá naquele dia: Não me alcançaram estes males, porque o meu Deus não está no meio de mim?  (Deuteronômio 31:16-17).

Isto significava que Deus os haveria de entregar à sua própria sorte. Não os protegeria; nem lutaria em favor deles e tão pouco haveria comunhão entre eles e Deus. Portanto, o jugo desigual provoca a separação entre o adorador e seu Deus.

       7.     Colhem os seus frutos:

    Todas as nossas escolhas implicam em consequências. Sejam elas boas ou não, certamente colheremos dos seus frutos. O jugo desigual traz conflitos no casamento; desigualdade de culto, de práticas e de sentimentos. Este é o preço daquele que insiste em aparentar-se com pessoas que não professam a mesma fé.


"Se, todavia, vocês se afastarem e se aliarem aos sobreviventes dessas nações que restam no meio de vocês, e se casarem com eles e se associarem com elesestejam certos de que o Senhor, o seu Deus, já não expulsará essas nações de diante de vocês. Ao contrário, elas se tornarão armadilhas e laços para vocês, chicote em suas costas e espinhos em seus olhos, até que vocês desapareçam desta boa terra que o Senhor, o seu Deus, deu a vocês (Josué 23:12-13).


O anjo do Senhor subiu de Gilgal a Boquim e disse: Tirei vocês do Egito e os trouxe para a terra que prometi com juramento que daria a seus antepassados. Eu disse: Jamais quebrarei a minha aliança com vocês. E vocês não farão acordo com o povo desta terra, mas demolirão os altares deles. Por quê vocês não me obedeceram? Portanto, agora lhes digo que não os expulsarei da presença de vocês; eles serão seus adversários, e os deuses deles serão uma armadilha para vocês (Juízes 2:1-3).

         Pense bem! Não se coloque em jugo desigual! Espere no Senhor. Não insista com este namoro, mas, elimine todos os meios pelo qual ele tem sido nutrido. Tome uma atitude bíblica que afirma Paulo em 2 Coríntios:

       Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo, E eu vos receberei; E eu serei para vós Pai, E vós sereis para mim filhos e filhas, Diz o Senhor Todo-Poderoso. (2 Co. 6:17,18).
     
 É necessário romper essa aliança que te afasta de Deus, mesmo que de momento isso seja sofrido, dolorido. Jesus sofreu muito mais em nosso favor. O jugo desigual trás consequências sérias e, muitas vezes, culmina em divórcio, amarguras e ressentimentos. Por isso, reflita sobre a sua conduta e como está escrito em 2 Timóteo:

"na esperança de que Deus lhes conceda o arrependimento, levando-os ao conhecimento da                              verdade, para que assim voltem à sobriedade e escapem da armadilha do diabo, que os aprisionou para fazerem a sua vontade (2 Timóteo 2:25-26).


                                                    Pastora Rose Prado


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!!